Seaspac: Programa Criança Feliz mantém atendimento durante pandemia

O Programa Criança Feliz (PCF), da Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac) substituiu temporariamente a maioria das visitas domiciliares para o atendimento remoto via telefone e Whatsapp e pelo site do programa. A medida visa não deixar as famílias desamparadas durante esse momento de pandemia.

O programa cobre atualmente 316 crianças e 92 gestantes. A pequena Kaliandra Brasil da Silva, 2 anos, é uma das crianças que já começou a usar o método online para continuar seu desenvolvimento. “Ela sentia falta das atividades e da visitadora. Eu falo para ela que a Angelica mandou e ela faz todas as atividades feliz”, conta a mãe, a atendente Kauane Leticia Brasil, de 27 anos.

Angélica Siqueira Quaresma de Souza é a visitadora que acompanha a criança através do PCF. Ela conta que as visitas eram realizadas toda semana durante o período normal e agora o contato online também é feito semanalmente. “A gente entra em contato, passa as orientações, quais atividades pedagógicas devem ser executadas, conversa sobre como está o processo, a evolução, se a criança gostou”, explica.

Angélica Siqueira Quaresma de Souza

Além do contato com os visitadores, o site do programa é constantemente atualizado. “Eu disponibilizo e atualizo toda semana as atividades no site. Nós temos uma parte que diz as atividades da semana e como estimular a criança. Explicando todas as atividades que devem ser realizadas de acordo com a faixa etária”, explica Luís Silva de Souza, coordenador do PCF em Marabá.

Luís Silva de Souza, coordenador

Kauane conta que antes não podia acompanhar as atividades junto à visitadora, pois estava trabalhando. A agora que está em casa, devido à quarentena, fica feliz de poder ver a evolução da criança. “Ela vai evoluindo nas atividades que são passadas, entende e realiza tudo. Acho muito bom, quanto mais aprender melhor para vida dela. Ela é tão pequenininha, mas é a coisa que fica. Educação aprendizado é para o resto da vida”, completa.

Kauane Leticia Brasil
Pequena Kaliandra

 

 

 

 

 

 

 

 

O Programa

O PCF atende crianças de 0 a 36 meses e gestantes, através do Cadastro Único para Benefícios Sociais e o Bolsa Família, e crianças de 0 a 72 meses portadoras de necessidades especiais, por meio do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O objetivo é alcançar esse público que ainda não é assistido na educação. “O desenvolvimento infantil nessa etapa é de total importância, então pensamos em uma metodologia para melhorar essa fase do crescimento”, explica Luís Silva de Souza, coordenador do PCF em Marabá.

O Programa foi implantado no município no dia 22 de outubro de 2017, no primeiro ano da atual gestão. Logo após começou o período de estruturação da equipe, organização de logística e organização de busca ativa que passou a identificar as famílias e os territórios de atuação. Atualmente a equipe é composta por um orientador e 12 visitadores. Em um período normal chegam a ser realizadas seis visitas ao dia, por cada orientador, durante as terças e quartas-feiras.

O Criança Feliz funciona através de visitas domiciliares. Uma visitadora se dirige até casa da família aonde trabalha atividades sociopedagógicas com as crianças. Durante o período de isolamento social esse acompanhamento está sendo realizado de forma online e a própria família fica responsável pela execução das atividades com a criança. O retorno é feito por envio de vídeos e fotos das atividades por solicitação das equipes.

No ano passado o programa beneficiou 490 famílias.

E quem não tem celular?

Algumas visitas ainda são realizadas para as famílias que não possuem forma de comunicação à distância, sendo 36 famílias nessa situação. As visitas são realizadas mantendo o distanciamento social. Os visitadores passam na casa das pessoas, informam quais atividades devem ser realizadas, orientam os pais ou familiares e acompanham a distância a realização do processo.

Veja outras fotos:

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Divulgação Criança Feliz

Acessibilidade