Seaspac: Programa Criança Feliz retoma atividades presenciais, mantendo todos os cuidados

Os profissionais contarão com todos os equipamentos necessários para sua atuação, respeitando as normas de prevenção ao Covid19. Ainda acontecerão visitas remotas para as famílias que tem pessoas dentro do grupo de risco.

Nesta semana as crianças e gestantes acompanhadas pelo Programa Criança Feliz (PCF) em Marabá retomaram aos poucos as atividades presenciais. O Programa realizava suas visitas de forma remota desde o 16 de marçodevido a pandemia do novo Coronavirus. A retomada das atividades foi encarada com muita alegria pelos mais de 427 beneficiados pelo PCF.

É o caso da Rayana dos Santos Silva, mãe do pequeno Daniel Barbosa dos Santos, de 2 anos e 7 meses, moradora do Residencial Jardim do Éden. “Eu não sei se foi o Daniel ou eu que senti mais falta do programa. Percebemos que cada atividade, tarefa e exercício que o visitador trás, o Daniel tem alegria e desenvolve mais facilidade para o aprendizado”, conta.

Ela comenta que não sabia do Programa, se dirigiu ao Cras para pegar o Número de Identificação Social (NIS) do filho, quando a moça lhe ofereceu. “Fui no Cras e a moça me explicou e já incluiu ele na hora. O Daniel se identificou muito, eu não imaginei que ele se identificaria tanto. Os visitadores são bem simpáticos e tem bastante paciência com a gente”, relata

O público prioritário do programa é composto por gestantes e crianças de zero a três anos, ou de até seis anos de idade, quando usuário do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O maior número de atendidos se concentra hoje na área de abrangência do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Morada Nova, com 31%. Os Cras Amapá e Bela Vista correspondem a 25% do total cada, e o Cras da Nova Marabá por 18%.

O coordenador do PCF em Marabá, Luis Silva de Sousa, conta que a cidade chega a realizar mais de 31.200 visitas às crianças e gestantes inscritas no CadÚnico para Programas Sociais, acompanhadas por visitadores que atuam diretamente na promoção do desenvolvimento infantil. “O Criança Feliz e um programa extraordinário. Ele vem fazendo a diferença para as famílias e para o desenvolvimento das crianças atendidas”, celebra.

Entre os dias 13 a 17 de julho a equipe do PCF, junto a coordenação do Programa e a Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac) estudaram a melhor forma de retomarem as visitas domiciliares seguindo as normas do Ministério as Saúde. Com isso ficou decidido que ainda acontecerão visitas remotas para as famílias que tem em sua composição pessoas dentro do grupo de risco, assegurando assim a prevenção e continuidade do programa para todos. Os profissionais contarão com todos os equipamentos necessários para sua atuação, respeitando as normas de prevenção a Covid19.

“O Criança Feliz tem uma importância significativa em Marabá, visto que nem todas as crianças tem uma atendimento na primeira infância por parte da educação.  O programa vem para fortalecer e melhorar o desenvolvimento infantil de muitas famílias marabaenses, quem critica o Programa é por que muitos desconhece a realidade da Primeira Infância no Brasil”, reforça Nadjalucia Oliveira, Secretaria Municipal de Assistência Social.

Recentemente o programa contou com a entrada de novos visitadores, aprovados no Processo Seletivo Simplificado Nº 001/2020A doméstica, Aldiany Sousa Olveira, mãe do Arlan de 2 anos e 7 meses, comemorou a novidade. “É muito bom e traz muita benfeitorias para criança. Já conheci dois dos novos visitadores. Os dois são um amor de pessoa. A primeira que veio foi a Raissa, tem muita paciência, se dedicou bastante. Agora veio um rapaz, bem paciente, sempre presente. Sempre disponíveis a ajudar a gente”, agradece Aldiany.

Ela comenta também sobre o apoio dado pela equipe durante o período de isolamento. “Sempre me mandavam as atividades, sempre perguntavam o desenvolvimento do Arlan, quando via que ele tinha aprendido eu mandava o que foi feito. Percebemos uma preocupação grande da equipe”, comenta.

O Programa

O PCF atende crianças de 0 a 36 meses e gestantes, através do Cadastro Único para Benefícios Sociais e o Bolsa Família, e crianças de 0 a 72 meses portadoras de necessidades especiais, por meio do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O objetivo é alcançar esse público que ainda não é assistido na educação. “O desenvolvimento infantil nessa etapa é de total importância, então pensamos em uma metodologia para melhorar essa fase do crescimento”, explica Luís Silva de Souza, coordenador do PCF em Marabá.

O Programa foi implantado no município no dia 22 de outubro de 2017, no primeiro ano da atual gestão. Logo após começou o período de estruturação da equipe, organização de logística e organização de busca ativa que passou a identificar as famílias e os territórios de atuação. Em um período normal chegam a ser realizadas seis visitas ao dia, por cada orientador, durante as terças e quartas-feiras.

O Criança Feliz funciona através de visitas domiciliares. Uma visitadora se dirige até casa da família aonde trabalha atividades sociopedagógicas com as crianças. Durante o período de isolamento social esse acompanhamento está sendo realizado de forma online e a própria família fica responsável pela execução das atividades com a criança. O retorno é feito por envio de vídeos e fotos das atividades por solicitação das equipes.

No país todo, são mais de 33 milhões de visitas realizadas por 21.655 visitadores. O trabalho consiste em acompanhar a gestação e os primeiros anos de vida da criança, além de passar orientações aos cuidadores sobre a importância de atividades que estimulem as crianças a desenvolver habilidades cognitivas, linguísticas, motoras, socioemocionais e um comportamento adaptativo.

Veja também: Seaspac produz máscaras para integrantes do Programa Criança Feliz

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Divulgação

Acessibilidade