Segurança: Campanha Laço Branco, de combate a violência contra a mulher, é lançada em Marabá

(4 de dezembro de 2020)

Com ampla participação de representantes de entidades, que atuam no movimento de erradicação da violência contra a mulher, como também a Guarda Municipal, Policias Civil e Militar, Câmara de Vereadores e Prefeitura, foi lançada a campanha Laço Branco, no plenarinho do legislativo municipal, nesta sexta-feira (4).

A campanha tem o objetivo de sensibilizar, envolver e mobilizar a todos no engajamento pelo fim da violência contra a mulher, a partir de diversas ações, realizadas por diferentes setores da sociedade, que se encontram inseridos na luta pela promoção da equidade de gênero e superação das desigualdades entre homens e mulheres.

O Inspetor Roberto Lemos, da Guarda Municipal, que está à frente da patrulha Maria da Penha, e que acompanha mulheres que estão sob medidas protetivas, destacou a importância de envolver também os homens para reduzir os números de violência contra a mulher. “A gente constatou a questão da reincidência do autor, talvez pelo desconhecimento da lei Maria da Penha. Mas é importante, e no Brasil já se trabalha em alguns locais e aqui buscaremos com esta campanha, conscientizar os homens na luta contra a violência e que possamos envolvê-los e evitar novos casos de violência”, disse.

Inspetor Roberto Lemos

A professora Cláudia Cilene Araújo, presidente do Conselho da Mulher de Marabá, acompanhou o evento e disse que a iniciativa é um marco nesta luta de proteção à mulher e chega num momento importante, após serem registrados mais dois brutais assassinatos de duas mulheres em Marabá. “É um momento que marca toda uma trajetória de nossas lutas e só temos que apoiar a Patrulha Maria da Penha, que já faz parte da rede de proteção, e temos que conscientizar a sociedade que não aceitamos mais a violência contra a mulher. Nós tivemos uma semana muito difícil para nós, porque perdemos duas mulheres, que foi o caso da Vanusa e de sua filha, e nós queremos saber das autoridades se mais esse crime ficará impune, porque não aceitamos mais que mate uma mulher, violente uma mulher e tudo fique parado”, protestou.

Cláudia Cilene

Júlia Rosa, da Coordenadoria da Mulher de Marabá, ressaltou os trabalhos de proteção à mulher. “É trazer todos para atuar na luta contra essa violência e trazer todas as entidades e encorajar as mulheres para que possamos enfrentar a violência”, disse.

Júlia Rosa

A campanha do Laço Branco está presente em mais de 50 países em todos os continentes e é apontada pela ONU como uma das maiores iniciativas mundiais direcionadas para a temática do envolvimento de homens com a violência contra a mulher.

História 

A campanha Laço Branco, acontece no dia 06 de dezembro, porque nesta data, no ano de 1989, Marc Lepine, um homem de 25 anos, invadiu uma sala de aula, no Canadá, atirando e assassinando 14 mulheres, suicidando-se em seguida. A motivação foi ódio do jovem em ver as mulheres estudando engenharia, um curso tradicionalmente dirigido ao público masculino, algo que foi descrito em uma carta por Marc. O crime mobilizou a opinião pública do Canadá, ampliando o debate sobre as desigualdades entre homens e mulheres e a violência, surgindo a primeira campanha do Laço Branco, criada por homens, que elegeram como símbolo, o laço branco e adotaram como lema: “jamais cometer um ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência” (Fonte: Adolescencia.org.br)

Veja outras fotos:

Texto: Victor Haôr 
Fotos: Paulo Sérgio