Semed: Com alto valor energético, o queridinho dos paraenses agora compõe a merenda escolar

Um novo item tem feito a alegria da criançada pelas escolas municipais de Marabá. Desde setembro, a equipe de nutricionistas da Prefeitura de Marabá introduziu o açaí como parte da merenda escolar. A fruta é um dos 21 itens advindos da agricultura familiar diretamente ao cardápio dos nossos pequenos. No total, a merenda escolar conta hoje com 66 itens.

Cinco nutricionistas são responsáveis por montar a alimentação oferecida nas escolas. Uma delas é Amanda Martins que comemora a aceitação da novidade entre os alunos. “Esse açaí já era um sonho antigo nosso aqui da gestão nutricional. É um alimento riquíssimo em nutrientes, energético, rico em fibras e principalmente porque é um alimento regional servido juntamente com farinha de tapioca que também é um alimento nosso”, destaca.

A nutricionista também destaca que foi feito um trabalho organizacional com os agricultores para que a fruta pudesse ser servida a toda rede de uma vez só. Para o ano que vem, a merenda escolar terá ainda mais diversidade. “Cada ano a gente vem inserindo novos itens. De pouco em pouco conseguimos enriquecer cada vez mais a alimentação dos nossos alunos, então para o ano que vem já está previsto a entrada de mais novos 10 itens na alimentação deles”, acrescenta.

A merendeira da Escola Cristo Rei, Lucélia Dias da Silva, funcionária do município há 11 anos, conta que pela primeira vez vê a fruta sendo servida para os alunos. “Eles estão gostando muito. Nunca vi repetirem tanto. Tem muitos nutrientes para a criança, ainda mais em fase de crescimento, diversifica a alimentação e é muito fácil e prático de servir”, sublinha.

A escola Cristo Rei, localizada no bairro Jardim União, atende hoje mais de 800 alunos e não falta açaí para nenhum deles. “É a melhor merenda que eu já tive, açaí é minha fruta predileta. Amo o açaí do meu Pará”, disse empolgado Erick Silva, de 8 anos.

Para Thaylon Lowran, de 9 anos, “a merenda é muito boa, o prefeito está de parabéns em ter mandado açaí para as escolas. Açaí é a melhor fruta que tem. Minha cor preferida é roxo por causa do açaí”, acrescenta.

A vice-diretora da escola, Edilene Ferreira de Souza, comenta que a alegria dos alunos com a fruta é perceptível e que chegam a repetir até três vezes, destacando que a memória afetiva que a fruta causa em alguns alunos. “É algo da vivencia deles, o açaí é nosso, é regional. A maioria já conhece essa fruta, já tem essa vivencia em casa e fica feliz de ver na escola. Estamos no verão, muito calor, o açaí é refresca. Percebemos que gostaram tanto que eles repetem”, ressalta.

A jovem Melissa Viana, 11 anos, corrobora com essas ideias. “Desde quando eu era menor, eu pedia para mãe comprar e comia muito açaí. O que como aqui é semelhante, estão de parabéns por dar essa refeição pra todo mundo”, conta.

A pequena Karine Braga Araújo, 8 anos, também é só elogios a merenda. “O açaí é a melhor coisa que eu tenho na minha vida. Eu comia açaí toda hora na casa da minha vó. Gosto de comer açaí, com farinha, sem farinha, com açúcar, sem açúcar. Minha vó sempre cuidava de mim dando açaí. Fico feliz quando tem açaí na escola”, comenta.

Mais de 70 mil alunos

A Prefeitura de Marabá entrega hoje merenda para 200 escolas, sendo 120 na zona urbana e 80 na zona rural. Ao todo são 74.578 alunos beneficiados, sendo que 15 mil deles são alunos da rede estadual. Isso ocorre porque no início do ano, a cidade optou por municipalizar a merenda do Estado.

O coordenador da merenda escolar de Marabá, Augusto Alves Filho, explica que “foi feito um acordo onde o município assumiu a merenda do Estado. Então hoje, em Marabá, tanto no ensino fundamental quanto no ensino médio, a merenda escolar é fornecida pela Prefeitura de Marabá através da coordenação de alimentação escolar”.

Além disso, está sendo trabalhada a questão da alimentação para crianças com restrições como diabéticos ou alérgicos. As escolas encaminham os laudos sobre os alunos que necessitam de uma dieta específica, para que seja propiciado alimento condizente com as necessidades. “É algo que já está sendo inserido para que seja feito uma dieta diferenciada para essas crianças. Ano que vem pretendemos ampliar” completa a nutricionista Amanda Martins.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos 

ACESSIBILIDADE
X