Semed: Consulta Pública de Proposta Pedagógica Curricular fica disponível até 10 de novembro

Consulta ficará disponível na Internet durante dez dias para receber sugestões de toda a comunidade

Durante reunião com gestores escolares do campo e da cidade nesta sexta-feira, dia 1º de novembro, a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) apresentou o site da consulta pública da Proposta Pedagógica Curricular “Pensando em Rede”. A apresentação aconteceu no Plenário da Câmara Municipal de Marabá, com a presença da secretária municipal de Educação, Marilza Leite, do secretário adjunto, Orlando Morais, e dos diretores de Ensino Urbano e do Campo, Fábio Rogério Gomes e Valdirene Campos.

A proposta ficará disponível para receber contribuições no endereço www.curriculo.semedmaraba.pa.gov.br até o dia 10 deste mês de novembro.

Marilza reconheceu que o momento atual é histórico e que houve envolvimento de centenas de pessoas até aqui para a elaboração da proposta do novo Currículo Escolar de Marabá, que será implementado a partir de 2020. “Não há como nós, professores, recuarmos de nossa função reconstrutora e transformadora das várias realidades em que estamos inseridos. Não há espaço para a estagnação do conhecimento em nossa prática pedagógica, sabendo que por meio dela, outras histórias serão tecidas. Somos todos autores deste projeto construído por muitas mãos, que deu origem à Proposta Pedagógica Curricular “Pensando em Rede”. Sejamos, pois, também regentes desse importante movimento que tem no cenário escolar o local de construção e reconstrução de saberes capazes de garantir o protagonismo e a formação integral dos alunos nele inserido”, sustentou.

O diretor de Ensino Urbano, Fábio Rogério, explicou aos gestores escolares que a consulta é o primeiro passo para a homologação deste documento, que segue as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), instituída em 2017.

A BNCC é um documento normativo que define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da educação básica. O principal objetivo dela é balizar a qualidade de educação por meio do estabelecimento de um patamar de aprendizagem.

Fábio lembrou que Marabá foi uma das cidades pioneiras do país ao regulamentar um currículo preliminar ainda no início deste ano. “Desde janeiro nós temos um currículo unificado no município, tanto na área urbana como no campo. Porém, ele ainda não estava completo, e após um ano e oito meses de estudo e construção deste currículo, envolvendo professores, coordenadores pedagógicos e técnicos da Secretaria de Educação, hoje apresentamos o documento completo para receber sugestões”, explicou.

Ainda de acordo com o diretor de Ensino Urbano, depois de concluída a fase de criação da proposta do currículo municipal, o documento fica disponível para legitimação, realizada em primeira instância pela população marabaense. “As pessoas poderão contribuir em dois eixos: Depois de dez dias de contribuições, abertas ao município, Estado e Brasil, nós vamos passar por um processo de refinamento destas contribuições, com o envio da proposta para a validação pelo Conselho Municipal de Educação (CME), colegiado que tem a competência de instituir a proposta em currículo oficial do município de Marabá” explica.

 

Adaptação ao novo currículo

Fábio Rogério também explica que para que o novo currículo educacional seja implementado com êxito nas mais de 200 escolas de Marabá, os professores da rede pública de ensino vão passar por uma formação continuada, onde os conteúdos do currículo serão debatidos e alocados no plano de aula. “Queremos ter a responsabilidade não somente de produzir um currículo, mas de orientar e dialogar com os professores sobre a forma de introduzi-lo na sala de aula, para que tenha o alcance desejado. Por isso, a partir de 2020, todas as formações dos professores terão como foco a instrumentalização para uso do novo currículo”, anuncia.

A consulta pública do currículo base de Marabá pode ser feita no site https://curriculo.semedmaraba.pa.gov.br/ até dia 10 de novembro.

Texto e foto: Ulisses Pompeu

ACESSIBILIDADE
X