Semed: Prefeitura já entregou 17 mil kits de alimentação Escolar

(11 de fevereiro de 2021)

Os kits são compostos por 8 itens que ainda estão disponíveis no estoque: arroz, leite, proteína de soja, açúcar, chocolate, milho para pipoca, almondega em conserva e suco concentrado. Além de farinha e açaí.

A Secretaria Municipal de Educação por meio do Departamento de Alimentação Escolar está realizando a entrega da segunda remessa de kits de gêneros alimentícios que fazem parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Desta vez já foram entregues 17 mil kits, priorizando escolas da Educação Infantil e Zona Rural. O kit não se caracteriza como cesta básica e é destinado somente aos estudantes matriculados nas escolas públicas.

A nutricionista Fabíola Badu, responsável técnica pelo Departamento de Alimentação Escolar no município, explica que os produtos entregues recentemente são compostos por 8 itens que ainda estão disponíveis no estoque:  arroz, leite, proteína de soja, açúcar, chocolate, milho para pipoca, almondega em conserva e suco concentrado. O açaí e a farinha de tapioca também têm sido distribuídos. Todos os alimentos são definidos pela equipe nutricional do Departamento da Alimentação Escolar.

 “A entrega dos kits nunca foi paralisada a gente continuou entregando desde ano passado. Esse mês de janeiro começamos atendendo escolas do São Félix, Morada Nova e zona rural. O processo licitatório para alimentos que farão parte do cardápio de 2021, está em andamento, estamos na análise de amostra. E lá para a segunda quinzena de março estaremos recebendo itens para enriquecer ainda mais os kits”, informa a nutricionista.

Nutricionista Fabíola Badu, responsável técnica pelo Departamento de Alimentação Escolar

Por outro lado, a nutricionista Helen Cristina Lima, ratifica que a distribuição dos kits foi uma decisão da Prefeitura, aja visto, que a lei 13.987/2020 não obriga o município a tal. Contudo, a PMM já atendeu mais de 70 mil estudantes, somente na primeira remessa contemplando tanto a rede municipal, quanto a estadual. Vale ressaltar que a organização e distribuição dos kits estão de acordo com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) por meio da Resolução nº2/2020.

“Não é uma cesta básica, na verdade os alimentos são para atender o aluno como se ele estivesse em sala de aula. O que vem no kit contém o valor calórico correspondente mais ou menos a 20% do que seria recomendado para o dia da criança. Seria simplesmente o tempo que ela estaria na sala de aula”, esclarece a nutricionista.

Helen Cristina Lima

Repercussão nas escolas

Na Vila Sororó, distante a 35 quilômetros da zona urbana de Marabá três escolas estão finalizando a entrega dos kits de Alimentação Escolar. Dona Rosa Helena Campos Pinheiro, tem dois filhos estudando na EMEF Ruan Pablo, por isso, levou pra casa dois kits. Ela sabe que os produtos correspondem a merenda que é ofertada aos filhos na escola, mas destaca que tem ajudado na alimentação de toda a família.

“É uma atitude boa, porque nessa pandemia a chance tá ruim pra quem tá procurando emprego. Uma força ótima para mães que estão precisando como eu”, descreve a dona de casa.

Dona Rosa Helena Campos Pinheiro

Francisco de Sales, diretor da EMEF Ruan Pablo, onde estudam os filhos de dona Rosa e mais 396 alunos, entre 6º e 9º ano, destaca que a previsão é de que todos os kits sejam entregues até esta sexta-feira (12), seguindo os protocolos de segurança.

“Entregamos por etapa, por turmas. O kit é bem-vindo para a comunidade, nesta pandemia com muita gente sem emprego ele vem pra contribuir com as famílias. Numa vila como essa tem muita família que não tem marido, não tem emprego, e o kit vem pra somar”, pondera o diretor.

Francisca ficou feliz com a entrega do Kit para a filha

Já no NEI Quézia da Silva, a Francisca Miranda, buscou a alimentação escolar da filha de 6 anos e diz concordar com a forma com a PMM tem distribuido a merenda escolar. “ Foi uma forma muito boa porque contribui pra muitos que necessitam”, ressalta Francisca.

No NEI Quézia Silva a divulgação foi feita de forma digital esclarece a coordenadora pedagógica Etelgina Silva Oliveira.

“A gente fez a divulgação nos grupos de zap da escola e logo cedo os pais já começaram a vir. Dividimos o espaço para atender sem aglomeração. Ao todo são 225 kits”, informa a coordenadora.

Coordenadora pedagógica Etelgina Silva também participou da entrega

Na Escola Adelaide Molinari, a Nelcionita Viana Moreira, mãe de 7 filhos, todos estudantes da rede pública, saiu satisfeita com o recebimento dos alimentos.

“Com essa pandemia tem sido uma contribuição importante. Tenho 7 filhos que estudam, então isso é uma coisa muito boa. O governo faz pela gente”,  destaca a dona de casa.

Diretor Antônio José

Antônio José Neves, diretor da EMEF Adeladi Molinari, pontua o impacto positivo que a entrega da alimentação escolar causa na comunidade. Lá são 469 alunos do 1º ao 5º ano e uma turma da Educação de Jovens e Adultos. Para evitar aglomeração a distribuição foi feita por turmas.

“O impacto na comunidade é muito grande. Temos feito visitas nas casas e tem família que quando chega uma situação dessa eles acabam vindo todos pra tenta pegar, pelo fato da necessidade que estão passando. Temos um momento muito significativo que é a entrega desses kits.”, observa o diretor. 

Veja mais fotos:


Texto: Leydiane Silva
Fotos: Aline Nascimento