Semel: “Live de ginástica” garante prática de atividade física em casa

Quem gosta de ginástica não precisa se sentir desamparado durante esse período de isolamento social. A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) está garantindo a prática de exercício físico em aulas online, gratuitas e animadas, dando assim continuidade ao projeto “Ginástica para Mulheres”. As aulas são transmitidas direto do Ginásio da Folha 16.

O projeto denominado “Live de Ginástica” está sendo realizado desde o dia 27 de abril e pode ser acessado por meio da página da Semel no Facebook, às terças e quintas-feiras, no horário das 17 horas. As aulas ministradas pelos professores Leo Martins, Angelina Celestino e Tynna Chaves têm duração de uma hora.

Alexandre Barreto, atual secretário da Semel, destaca que embora o público feminino seja maior, as lives visam estimular a prática de atividades físicas em casa para toda a comunidade. “Pra isso tivemos de planejar novas formas de dar aulas para que todos possam aproveitar”, observa.

Alexandre acrescenta que os acessos vêm crescendo a cada dia. “Começamos com 50 participações ao vivo, agora já temos 100 pessoas participando, além das visualizações, muitas delas passam de 4,5 mil”, comenta. .

A interação entre professores e internautas, bem como a diversidade de ritmos nas aulas de dança atraem internautas de todas os núcleos. “Galera de Morada Nova está ativa!”, ressaltou Maurina Porto Pereira em seu perfil do Facebook.

Já a Jucileia Santos, do Residencial Tiradentes, comentou sobre o resultado dos exercícios: “Suada mais que tudo”, disse. A Geize Neves mostrou que acompanha frequentemente as aulas ao fazer o comentário “Amei a aula de hoje”.

A prática de exercícios físicos durante a quarentena também é recomendada para o auxílio da manutenção da saúde mental. “Fazer alguma espécie de exercício físico, movimentar o corpo é essencial. “Cuidar do corpo, fazer meditação, corrida, limpar a casa, exercícios simples. Executar atividades que movimentam seu corpo”, complementa Charles Roosevelt, médico de saúde mental do Centro de Atendimento Psicossocial de Marabá (CAPS III).

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Divulgação Semel

Acessibilidade