Sine: Encaminhamentos para setor de mineração crescem no 1º semestre

Chefe de gabinete Walmor Costa diz que o SIne é uma forma prática de conseguir o emprego

A auxiliar de limpeza Milena Gonçalves, de 36 anos, conseguiu por meio do Sine, uma vaga na empresa frigorífica, após um ano desempregada.

O Sine (Sistema Nacional de Emprego) teve balanço geral do primeiro semestre positivo. O órgão fechou com 2.250 encaminhamentos, desse total 45% das vagas pertencentes ao sexo feminino e 55% ao gênero masculino. O setor de mineração liderou o ranking de encaminhamentos, em seguida o de logística, transporte avançado, e ainda construção civil.

Para o chefe de gabinete, Walmor Costa, o trabalho do Sine é um trabalho conjunto de várias secretarias da Prefeitura, entre elas a Sicom (Secretaria Municipal de Mineração, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia), todavia é um trabalho sobretudo de governo. “Uma resposta que as pessoas estão acreditando na seriedade e no rumo do governo Tião Miranda”, reconhece ele.

Walmor Costa afirma que o Sine é a peça mais importante que liga quem está precisando do emprego ao trabalho, diretamente com quem precisa desse trabalhador, o empregador. “As pessoas, às vezes não têm paciência, não querem ir se cadastrar no Sine, porque é ele que faz esse elo, quem está precisando do emprego, com quem está precisando empregar. O Sine observa sua qualificação diretamente com as necessidades dos empregadores. O órgão tem um processo, mas é a maneira mais rápida, prática e fácil da pessoa conseguir um emprego”, esclarece ele.

Anteriormente, o governo federal repassava a verba do Sine para o estado, e o estado, por conseguinte, repassava para o município. Agora, Marabá terá a gestão plena sobre o Sine. O chefe de gabinete esclarece que foi criado o Conselho do Trabalhador, além do fundo do Trabalhador. “É uma maneira mais rápida do dinheiro chegar na qualificação dessa mão de obra, que está precisando do emprego, porque na maioria das vezes temos esse problema de a mão de obra não ser qualificada para o que estamos precisando”, ressalta Walmor Costa.

Ele detalha que Marabá possui um perfil de empregabilidade característico da região, como a pecuária, diferente por exemplo de Castanhal, em função das atividades econômicas predominantes em cada município. “Parabéns ao Sine e as pessoas envolvidas no processo”, enaltece o chefe de gabinete.

Coordenador do Sine, David Simões, está na direção do órgão há 4 meses

Sine

O coordenador do Sine, David Simões, está na direção do órgão há quatro meses. Ele lembra que no primeiro semestre de 2019 foram 2.250 encaminhamentos, desse total 45% de um universo feminino e 55% do gênero masculino.

Todavia, nem sempre o cadastro reflete encaminhamento, e nem sempre os encaminhamentos ou cadastros são efetivados no município, às vezes são efetivados em outras cidades. “Acolhemos demandas de municípios vizinhos e até mesmo de outros estados que em função de uma ou outra profissão não tem no seu círculo e vem buscar esses profissionais aqui no município, em função disso não entra nos nossos dados”, salienta David Simões.

Quanto aos dados dos cadastros são positivos.  No total, são 6.054 cadastros efetivados, 67% do gênero masculino, e 33% do gênero feminino. De acordo com David Simões, no primeiro semestre houve uma ação de setores diversificada. “Em função do deslocamento da planta de extração de minério sair de Minas Gerais e vir para o Pará, tivemos um volume enorme no setor de mineração, e também o setor de logística e transporte, além da construção civil”, enfatiza o coordenador do Sine.

Repetição?

Diariamente, o Sine propaga suas vagas disponíveis tanto nos veículos oficiais da prefeitura, quanto na imprensa local. Acontece de algumas vezes haver vagas repetidas, em relação a isso, David Simões respondeu que nem sempre as oportunidades de trabalho são ocupadas. “Nós fazemos a repetição delas. O empreendedor faz a repetição da vaga porque os trabalhadores ora encaminhados nem sempre são absolvidos”, justificou.

Milena Gonçalves, de 36 anos, estudante de adiministração

Oportunidade

A auxiliar de limpeza Milena Gonçalves, de 36 anos, conseguiu por meio do Sine, uma vaga na empresa JBS Couros, após um ano desempregada. Ela está empregada há cinco meses e com vistas em subir de cargo, atualmente está cursando o 3º semestre do curso de Administração, em uma faculdade particular do município.

“Quando eu estava desempregada um ano atrás vim no Sine fazer o cadastro, e sempre procurava atualizar. Foi quando surgiu essa oportunidade, peguei a carta de encaminhamento no Sine e passei por um processo seletivo na empresa. Consegui, graças a Deus”, comemora ela, que recomenda o Sine, e lembra que além do cadastro, a atualização dele é de extrema importância, como no caso de algum curso. Os requisitos para a vaga que Milena ocupou eram experiência na área e ensino médio completo. “Agradeço ao Sine por essa oportunidade”, sublinha ela.

 

Serviço: O Sine funciona de 8 às 14 horas, e os serviços internos de 14 às 16 horas. O usuário que busca um emprego deve ir munido além do currículo, documentos pessoais RG, CPF (fotocópias).

 

Texto: Emilly Coelho
Fotos: Paulo Sérgio Santos

Acessibilidade