SMS: Devido repasse parcial do Ministério da Saúde, vacinas podem faltar nos postinhos

0

Devido a remessa de imunobiológicos, repassada pelo Ministério da Saúde (MS) aos Estados e consequentemente municípios, ter sido parcial, é possível que a população comece a sentir falta de algumas vacinas nos postinhos, visto que o estoque está zerado na Coordenação de Imunização de Marabá.

Em nota informativa de número 9/2019-DEIDT/SVS/MS, o Ministério da Saúde informa que em junho deste ano foi distribuído o quantitativo de 41% da cota mensal da vacina BCG, já a vacina Meningocócica C conjugada, a remessa correspondente foi de 70% da cota mensal nacional, pois as demais doses existentes em estoque aguardam análise. Também estão em falta a vacina pentavalente, que protege crianças contra tétano, difteria, meningite, coqueluche (e outros tipos de infecções provocadas pelo vírus Haemophilus influenzae tipo B) e a hepatite B.

Ainda, conforme à nota do MS, além das vacinas BCG, meningocócica C conjugada e DTP (difteria, tétano e coqueluche), aplicada em gestantes e crianças, os soros antivenenos, antitetânico e antirrábico humano encontram-se em situação de distribuição parcial. Diante da situação, Crissiana Dias, coordenadora de Imunização do município de Marabá, acredita que, provavelmente, esses produtos faltarão nas unidades básicas de saúde, cujas quantidades existentes, no momento não é possível mensurar, visto que já não existem no estoque da coordenação.

Texto: João Batista

Foto: Arquivo / Paulo Sérgio dos Santos

 

Nenhum Comentário

ACESSIBILIDADE
X