SMS: Programa Hiperdia mantem entrega de medicamentos durante a pandemia

As Unidades Básicas de Saúde seguem realizando a distribuição de remédios para o Programa de Hiperdia (destinados às pessoas com hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus) do Departamento de Atenção Básica (DAB) da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). No entanto, enquanto durar a pandemia da Covid-19 o acompanhamento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão suspensos.

A Coordenadora do Departamento de Doenças Crônicas da SMS, Gisele Leite, explica que muitos dos mais de 20 mil pacientes cadastrados são pessoas idosas, por isso a recomendação é que a medicação seja retirada nas unidades básicas por algum parente, bastando levar a carteirinha de controle ou a prescrição médica e o cartão SUS.

“A orientação é essa, que as pessoas retirem os remédios nas UBS porque as entregas seguem sendo feitas. Mas não estamos realizando o acompanhamento médico do programa nas UBS, para evitar aglomeração, sobretudo de pessoas de mais idades nos postos”, explica Gisele Leite.

Vale ressaltar que nas áreas cobertas continua sendo realizado o acompanhamento, com a visita dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos enfermeiros. Sempre respeitando as normas e cuidados de prevenção ao contágio do novo coronavírus. “Como os funcionários têm esses cadastros, nesses casos eles já levam a medicação até a casa da pessoa”, sublinha.

O Programa

O Programa de Hiperdia funciona em todas as UBS do município. É responsável por cadastrar e fazer o acompanhamento de portadores de hipertensão arterial e diabetes. Os benefícios são os atendimentos preferenciais agendados, distribuição gratuita de medicamento e o melhor monitoramento dos pacientes.

“Entre os principais fatores que levam uma pessoa a contrair a chamada pressão alta estão sobrepeso e obesidade, má alimentação, incluindo muito consumo de sal, sedentarismo, tabagismo e, em alguns casos, o fator hereditário Os riscos da hipertensão arterial são o infarto, AVC, insuficiência cardíaca e renal. A orientação é que a pessoa pratique exercícios físicos e mantenha alimentação saudável para diminuir os riscos à saúde, principalmente nas pessoas idosas”, reforça Gisele.

Texto: Osvaldo Henriques
Foto: Arquivo

Acessibilidade