SMS: Programa Porta a Porta garante transporte para autistas e pessoas com incapacidade motora grave

O programa “Porta a Porta”, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está em atividade desde o início do ano, em Marabá, garantindo transporte para pessoas com transtorno de espectro autista e portadores de incapacidade motora grave, para demandas de saúde, trabalho e questões judiciais.


Vítima de um acidente de trânsito no ano passado, enquanto retornava do trabalho, em julho do ano passado, o técnico em enfermagem Rafael Silva de Sousa, perdeu o movimento das pernas. Com as dificuldades de locomoção, Rafael Sousa entrou no programa Porta a Porta.

“Esse programa chegou em uma boa hora, porque eu gastava muito com as viagens até ao Hospital Regional para fazer fisioterapia e agora aliviou as despesas e me ajuda muito. São três sessões durante a semana e não é fácil para quem já ganha pouco e esse programa ajuda bastante, ele vem me buscar e trás em casa, agora ficou bem melhor”, relata.

Rafael, técnico de enfermagem

Rafael é uma das 70 pessoas já inscritas no programa, que é coordenado pela assistente social da SMS Thais Santos. Ela explica que os serviços de cadastramento de pessoas com essas necessidades começaram a ser realizados ainda em junho de 2020.

“A partir de junho foi o período que iniciamos o projeto e foi um desafio desenvolver um serviço para ofertar um transporte adaptado para pessoas com deficiência mais severa de locomoção e pessoas com autismo. Então elaboramos um protocolo para as pessoas que seriam atendidas e um material básico de divulgação para que as unidades de saúde pudessem estar tendo conhecimento do serviço”, explicou a assistente social.

Segundo ela, foi realizado o levantamento de setenta pessoas aptas para serem atendidas pelo novo serviço e hoje se tornou uma realidade, os atendimentos já acontecem, desde o início do ano, em todos os bairros da cidade com veículos adaptados e com agendamento.

A assistente social informa ainda que estão abertos cadastros para novos usuários. É preciso ligar para o programa e agendar uma visita técnica na residência do solicitante e após a avaliação se a pessoa estiver apta, fará uso do transporte.

“Então se a pessoa tem interesse deve entrar em contato com a gente para marcar uma avaliação social e médica para poder entrar no programa e o objetivo é atender essa demanda. É um programa para atender cada vez esse grupo que depende muito de serviços sociais dessa natureza”, explicou Thais Santos.

Thais Santos, coord. do programa

Para uma avaliação técnica para ter acesso ao programa ligar para 3324-4497

Texto: Victor Haôr
Fotos: Paulo Sérgio