SMS: Trabalhador rural recupera autoestima ao receber prótese da perna

“Eu me sentia muito ruim, porque desejava fazer as coisas e não podia, era muito difícil, mas depois que recebi essa prótese melhorou muito, já ando na rua de novo, fiquei mais feliz, mudou a minha vida”. Diz Lucrécio Spindola

O agricultor aposentado Lucrécio Spindola, de 74 anos, teve a perna amputada, após um acidente de trabalho há dois anos e neste mês, recebeu uma prótese por meio de um programa mantido pela prefeitura de Marabá, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Seu Lucrécio mora com a família na vila Santa Fé, distante 70 quilômetros do centro de Marabá, e há dois anos, durante um trabalho de rotina na roça, ao fazer a limpeza da área sofreu um ferimento no pé direito. Devido a diabetes, o ferimento agravou e seu Lucrécio foi levado ao Hospital Municipal de Marabá por um vizinho. A esposa Ana Garcia conta que após avaliações, os médicos concluíram que já não teria mais como reverter o quadro e foi preciso amputar a perna, à altura do joelho.

“Quando chegamos ao hospital, fomos muito bem recebidos e era num dia de sexta-feira, dia 7 de setembro. A médica fez de tudo para tentar ainda salvar a perna do meu marido, mas não teve mais jeito, tinha que ser amputada, ele não tinha mais condição de andar e os médicos fizeram a cirurgia na quarta-feira seguinte”, relatou dona Ana Garcia.

A agricultora Ana Garcia relata ainda que no ano seguinte (2019) ela procurou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para conseguir uma prótese para a perna do marido. Ela foi encaminhada ao setor do serviço social, onde foram feitos os procedimentos administrativos para atendimento da doação da prótese.

Se Lucrécio está se adaptando à rotina novamente

Para seu Lucrécio a adaptação não foi fácil, mas a colocação da prótese melhorou não só a locomoção, como também resgatou a sua autoestima. “Eu me sentia muito ruim, porque desejava fazer as coisas e não podia, era muito difícil, mas depois que recebi essa prótese melhorou muito, já ando na rua de novo, fiquei mais feliz, mudou a minha vida. Ando na cidade com muleta já sai de casa e fico na porta sentado o que antes não fazia porque tinha vergonha da minha perna, hoje faço sem medo, vou para sala, na cozinha vou pra onde quero”, comenta seu Lucrécio.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o procedimento para aquisição de uma prótese inicia com consulta médica na Unidade Básica de Saúde, em seguida o paciente deve procurar o setor de Serviço Social da SMS, com os documentos exigidos para iniciar um processo de compra da prótese.

“Algumas semanas depois eu recebi uma ligação para ir com meu marido tirar as medidas para receber a prótese, foi um dos dias mais felizes de nossas vidas. Com a perna melhorou em tudo. Ele está muito feliz, se sente bem, veste uma calça comprida e ninguém percebe que ele é deficiente, está feliz demais”, conta emocionada dona Ana Garcia, ao lado de seu esposo.

Texto: Victor Haôr 
Fotos: Sérgio Barros

Acessibilidade