SMSI: DMTU informa que Detran já desvinculou documentos dos veículos leiloados este ano

Uma boa notícia para quem adquiriu um veículo no último leilão realizado pela empresa contratada pelo Departamento de Trânsito e Transporte Urbano – DMTU, que estava encontrando dificuldades para regularizar a documentação. Os proprietários têm até o final do exercício 2019 para procurar o Detran e realizar os trâmites legais a fim de retirar a nova documentação do veículo.

A informação é do Secretário Municipal de Segurança Institucional, Jair Guimarães, em entrevista coletiva com a imprensa de Marabá nesta segunda-feira (02). De acordo com ele, todos os documentos dos veículos arrematados no leilão, já estão devidamente desvinculados de todos os órgãos de trânsito, municipal, estadual e federal e da Secretaria da Fazenda do Estado, liberados para legalização sem nenhum impedimento.

“Depois de realizado o leilão, em março deste ano, nós ficamos trabalhando para desvincular os débitos dos veículos. Hoje temos uma legislação que diz que após realizado o leilão, todos os órgãos têm a obrigação de desvincular em 30 dias, só que é complexo, nós estivemos várias vezes em Belém e conseguimos desvincular todos os veículos, agora o proprietário precisa procurar o Detran urgentemente para licenciar o seu veículo e transferir para o seu nome”, explicou.

O secretário Jair Guimarães destaca ainda que, se o proprietário não realizar todos os procedimentos, como procurar o Detran e verificar sua documentação, os encargos podem voltar na documentação no ano seguinte, ou seja, no exercício 2020. Ele lembra que o proprietário precisa  licenciar o  veículo ainda este mês de dezembro, afim de evitar transtornos futuros.

Francisco Rodrigues, presidente da comissão de fiscalização de contrato e leilão, orienta que é preciso que o responsável pelo veículo possa seguir os trâmites legais, “quando uma pessoa participa de um leilão ela quer adquirir um bem e não um problema, e procuramos sempre pautar nosso trabalho pela eficiência e eficácia para que as coisas aconteçam em temo hábil”, afirma.

Texto: Victor Haôr
Fotos: Sérgio Silva 

Acessibilidade