SMSI: Motoristas de transportes por aplicativos se reúnem com Secretário Municipal de Segurança

A reunião com o Secretário Municipal de Segurança Institucional, Jair Guimarães Barata, na sexta-feira (24), com representantes do Sindicato dos Motoristas de Transportes de Aplicativos foi para discutir mudanças no Projeto de Lei que trata da regulamentação do transporte de passageiros por aplicativo.

Algumas solicitações da categoria foram acatadas como a solicitação de que o seguro de vida do passageiro seja de responsabilidade do aplicativo e não do motorista. “A plataforma terá que ter um seguro de pelo menos cinco mil reais para o caso de acidente com o passageiro”, comenta Jair Guimarães.

Secretário de Segurança Institucional Jair Guimarães

Outra mudança solicitada pela categoria diz respeito a necessidade da empresa ter uma matriz ou filial sediada em Marabá. “Será levada ao conhecimento do prefeito. Assim como a proposta para que a placa não precise ser de Marabá. Que seja liberada a placa do Mercosul. É algo que ainda estamos analisando’, complementa Jair.

O presidente do Sindicato de Transportes Motoristas por Aplicativo (Sindtapp) do Estado do Pará, Euclides Magno, ficou feliz com o resultado da reunião. “Fizemos questão de vir a Marabá e tivemos uma boa reunião. Saímos com a sensação de estar resolvido, bem além da nossa expectativa . Pensamos que haveria muita resistência por parte do poder publico, mas fomos bem recebidos, conversamos bastante a respeito dos pontos conflitantes, abrimos mão de alguns pontos, mas não se pode ganhar tudo”, ressalta Euclides.

Euclides Magno

O presidente da comissão de Desenvolvimento Urbano e Transporte da Câmara Municipal de Marabá, Vereador Raimundo Nonato (PMDB), destacou que o projeto é do Executivo, mas é possível que sejam feitas emendas quando chegar ao legislativo. “O projeto havia sido aprovado e depois pontuaram alguns itens para serem revistos. Estamos revendo. Nosso propósito é que todos tenham direito ao trabalho. Executivo e legislativo trabalham no consenso”, destaca.

Outro ponto debatido foi sobre a colocação do dístico, pequeno adesivo de identificação colocado no carro, e a localização afim de facilitar a fiscalização. “Batemos martelo para ser no dianteiro e facilitar a fiscalização. Vamos propor uma numeração para cada Uber para esse disco afixado no para-brisa. Assim poderemos ter controle da frota”, acrescenta Jair, garantindo que a Prefeitura está de portas abertas para discutir com os profissionais e a população, soluções que sejam benéficas a todos.

“Estaremos nas reuniões sempre debatendo e buscando atender a todos. E o motorista do aplicativo pode trabalhar porque vamos regulamentar, como determina a lei federal, atribui essa obrigação e fiscalização ao município”, conclui.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos

 

Acessibilidade